Minha querida Lucélia

Minha querida Lucélia
Terra boa onde cresci, quero voltar a Lucélia onde a vida é cor de anil!

Lucélia - Capital da amizade

Lucélia - Capital da amizade

Lucélia

Lucélia

Je t'aime - Lara Fabian

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Sonhei contigo - 20/10/2015



Sonhei contigo

Hoje bem cedo acordei.
Com vontade de te amar.
Porque contigo sonhei.
Que em teus braços fui jogar


Foi um sonho delicioso
Pois teus lábios me tocava
Em tom bem amoroso
Que em êxtase me entregava

Sentia teu hálito quente
Percorrendo minha entranha
Sem qualquer forma decente
Que o corpo todo assanha

Tua pele em mim roçava
Num jogo fenomenal
Em teus braços enlaçava
Num vai e vem sem igual.

Gemíamos de tanto amor
Olhando um para o outro
Tamanho era o calor
Que vinha do nosso corpo

Quando ao ápice chegava
Com este tamanho prazer
O relógio despertava
Pois já era amanhecer.

Este sonho tão erótico
Me fez até delirar
Com olhar já hipnótico
Na vontade de te amar

Claudeth Faldinheim
20/10/2015
Copyright-All rights reserved

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Quem é? - Claudeth 05/10/2015


Quem é?

Quem é o que dá ânimo
Para seguir a missão
Não é nem um pouco anônimo
Pois está no coração.

Esta força que aqui falo
Vem do meu interior
E com ele me embalo
Plantando a semente do amor

Se por acaso a tristeza
Chegar assim de mansinho
Ofuscando a beleza
Chamo por ela pertinho

Rogo a Deus que ajude
Nessa jornada que tenho
Para ter boa atitude
Na vida que aqui desenho

Com a ajuda do Pai
A alegria desabrocha
Toda tristeza se vai
Fortaleço e fico rocha

Claudeth Faldinheim
05/10/2015
Copyrights-All rights reserved

Gritos de Liberdade, Sons da alma - Clau 14/09/2015


Gritos de liberdade , Sons da alma

Alma minha, alma minha
Que grita assim sem parar
Será um amor que avizinha?
Ou será teu despertar.

Bota fora esta dor
Em gritos de liberdade
Não sofra sem ter amor
E não chore de saudade

O som que sai lá da alma
Afugente e liberta
E pela escrita acalma
A emoção do poeta

Nas linhas que vai traçando
Desperta toda a agonia
A emoção vai deixando
Em forma de poesia


Autoria: Claudeth Faldinheim
14 de setembro de 2015
Copyrights-All rights reserved

Carência - 05/10/2015


Carência

Sem você estou carente
A solidão me abraça
Queria estar presente
A teu lado cheia de graça

Os dias não tem sentido
Há um frio no coração
Pois és meu porto de abrigo
Vem me buscar com paixão

Preciso de teu carinho
Me aconchegar em teu braço
Me leve para teu ninho
Ameniza este cansaço

Cansada de estar sozinha
Sem ter nenhuma guarida
Sou como uma avezinha
Da vida aqui tão sofrida

Esta carência de amor
Só pode amenizar
Com todo o teu calor
Quero contigo despertar.

Claudeth Faldinheim
05/10/2015
Copyrights-All rights reserved

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

A fotografia - By Claudeth 18/09/2015
















 A fotografia

A minha foto em teu quarto
Sobre a cômoda colocada
Está em um porta retrato
Sobre a toalha rendada

É companhia constante
Na longa noite e implora
Ao olhar para o amante
Sob o luar lá de fora

Te serve de companhia
Sorrindo só para ti
Em toda noite vazia
Que me encontro por aqui

É apenas uma foto
Guardada com tanto carinho
E em teu quarto já noto
Aquece o vosso ninho

Se ela tivesse vida
Por certo de lá sairia
Pra na cama dar guarida
E em teus braços dormiria

Claudeth Faldinheim
18/09/2015
Copyrights-All rights reserved

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

O Amor 17/09/2015



O Amor
O amor é tudo na vida
Por que tirá-lo então?
Se ele nos dá guarida
E aquece o coração

Sem amor sinto perdida
Em qualquer direção
Deixo a alma enriquecida
Ao abraçar um irmão

Há muitas formas de amar
Em tudo que nos rodeia
Tem sempre um despertar
É luz do céu que nos permeia

Há amor pela família
E por toda natureza
Pelo sol que irradia
E nos traz tanta beleza

Quem ama um animal
Demonstra ser gente do bem
Pois carinho assim igual
Poucos recebem também

Por isso viva no amor
Sem qualquer pretensão
De um pouco de calor
Distribua compaixão

Claudeth Faldinheim
Copyrights-All rights reserved
17/09/2015

Vida e tormento 15/09/2015




Vida e Tormento


A vida é um momento
Um sopro do coração
Que as vezes é tormenta
E também realização

Aqui na Terra chegamos 

Com uma missão a seguir
E no futuro colhemos
O que plantamos aqui

Nem sempre é mar de rosas
Pois aparecem tormentas 

As coisas não saborosas
Se tornam um tanto nojentas

Cabe o homem trabalhar
E mudar a situação
Para não abandalhar
E sofrer intervenção

Fazendo o que é correto 

Mais depressa elevaremos
Desde que faça o certo
O amor alcançaremos.

By claudeth faldinheim 

Copyrights-All rights reserved
15/09/2015

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Meu pequeno tesouro ... Poesia 14/09/2015


Meu pequeno tesouro... Poesia

O meu pequeno tesouro
 Que é pedaço de mim
 Tem tonalidade de ouro
 Que resplandece assim

 É uma joia rara
 Que tem tamanho valor
 Para mim é muito cara
 Pois retrata grande amor

 Um grande amor pela rima
 E por tudo que se escreve
 Não importa qual enzima
 No final se torna leve

 É um tesouro guardado
 Por largos anos enfim
 Tem poema tão amado
 Construído em meu jardim

 Na poesia embalo
 O ritmo do coração
 E quando vem o estalo
 No papel e a boto então


Claudeth Faldinheim
Copyrights-All rights reserved
14/09/2015

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Queria escrever um poema - Claudeth Faldinheim 06/04/2015



Queria escrever um poema

Se soubesse escrever um poema
Os versos seriam  assim
Românticos como emblema
Para alegrar esse tema
Do amor que existe em mim

Esses versos que faria
Nem rima poderia ter
Mas com certeza sairia
Escrito em harmonia
Com esse meu bem querer

Se a tristeza aqui chegasse
Alcançando o coração
E logo se instalasse
Quem sabe até transformasse
Em agonia essa emoção

Palavras cheias de dor
Que fere o fundo da alma
E o coração sofredor
Chora por um amor
Em lágrimas que nada acalma

O poema assim chorado
Leva embora a alegria
Que no peito revoltado
Relembra o bem amado
E tudo que ali se cria

Claudeth Faldinheim
06/04/2015
Copyrights-All rights reserved

segunda-feira, 30 de março de 2015

Impertinências


IMPERTINÊNCIAS

É muito triste em ver
O sofrimento de alguém
Estar longe, nada fazer
Para ajudá-lo também

Há pessoas no mundo
Que julga ser o melhor
Não respeita e no fundo
É um ser muito pior

Nem precisa ir muito longe
Para esse alguém encontrar
Bem perto de nós se esconde
Que nos leva a revoltar

A maior e dura agressão
Não vem em física forma
Estão nas palavras e opressão
Que machuca e deforma

Destrói nosso coração
Ferindo seu interior
Sem nenhuma compaixão
Com frieza e desamor

A pessoa se esquece
Que velho também será
E essa manta que veste
O tempo desgastará

Quando esse dia chegar
Ponha mão na consciência!
Para poder se lembrar
De suas impertinências.

Os atos que praticamos
Mais tarde serão julgados
E no veredito então ficamos
Sendo ou não condenados

Claudeth Faldinheim
19/05/2014
Copyrights-All rights reserved

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Uma tal cidade - 09/02/2015



Uma tal cidade ...

Sonho com uma cidade
Me encanta ali estar
Um sítio que tem idade
E bom povo a alegrar

Fica bem lá no Norte
De um país encantador
Que sempre deu suporto
A teu povo desbravador

Com uma bela paisagem
E um rio a encantar
Digno de boa filmagem
Que quero ali retratar

Cidade das seis pontes
Do Douro ali a banhar
Que avista atrás de montes
Para o coração alegrar

Todos já devem saber
Desse lugar bem vistoso
Que aqui já vou dizer
É o Porto tão formoso

Um pedacinho de Portugal
Que recebe tanta gente
Lugar assim não há igual
Quero estar ali presente.

Claudeth Faldinheim
Copyrights-All rights reserved
09/02/2015

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Bom fruto colherá - 06/02/2015


Bom fruto colherá


A Escola é importante
Para o nosso aprendizado
Quem gosta fica radiante
E se sente realizado

Mas nem todos são assim
Não querem saber de nada
Só tem pensamento ruim
Em seguir alguma estrada

Se o aluno conscientizasse 
Que o importante é aprender
Quem sabe mais dedicasse
Para aumentar seu saber

Se hoje não dão importância
Mais tarde reconhecerão
Quanto mais experiência
Melhor no trabalho estarão

O futuro da Nação
Em sua mão ficará
Por isso com dedicação
Um bom fruto colherá!

Claudeth Faldinheim
Copyrights-All rights reserved
06/02/2015

Vivemos cada dia - 04/02/2015



Vivemos cada dia

Meu amanhã é agora
Pois não sei como será
Mas trago saudade de outrora
E tudo que ficou lá.

Vivemos a cada dia
Esperando dias melhores
Que seja em plena harmonia
Qual aquarela em cores

Nem sempre que almejamos
Conseguimos logo realizar
E então nos adequamos
Para a vida agilizar

O que me é predistinado
Ninguém jamais vai passar
Faça certo ou errado
Incumbe a mim consertar

Claudeth Faldinheim
Copyrights-All rights reserved
04/02/2015



Saudade! Sim 03/02/2015



Saudade em mim

Preciso aqui escrever
E botar no papel
Todo meu bem querer
E este gosto amargo de fel

Início de uma nova jornada
Que na vida procurei
Pensei ser bom, mas foi nada
Pois muito pouco encontrei

A mudança nos assusta
Ainda mais a decepção
E nessa triste labura
Machuca fundo o coração

A saudade aperta o peito
Daquilo que lá deixei
Dói fundo e não tem jeito
Ao lembrar que tanto amei

Sinto falta das amigas
Do meu cantinho amado
Nem me lembro das intrigas
Quem me dera ter voltado!


 Claudeth Faldinheim
Copyrights-All rights reserved
  03/02/2015

domingo, 9 de novembro de 2014

Paixão Virtual



Paixão Virtual

O nosso primeiro beijo
Não foi assim tão real
Não era o nosso desejo
Pois foi um beijo virtual

Apenas aquela telinha
Serviu de comunicação
Sendo então nossa linha
Para unir essa paixão

Este grande sentimento
Brotou em meu coração
Fez então neste momento
Uma singela e eterna união

Seus olhos me cativaram
Tua boca me fez louca
Meus sentimentos brotaram
E não foi coisinha pouca

A vontade de te ter
Foi num instante crescendo
Sendo tu meu bem querer
Do amor ali nascendo

Esse desejo tão forte
Ficou ali reprimido
Pois tu estava no norte
E eu aqui sem sentido

Claudeth Faldinheim
Copyrights- All rights reserved
04/11/2014

sábado, 8 de novembro de 2014

Sol .... Fonte da vida


Sol ... fonte de vida

O dia que o sol faltar
Não teremos poesia
Que faz o coração embalar

E nos trás tanta alegria

O sol é fonte da vida
Sem ele já não vivemos
Com certeza é partida
E a seguir morreremos

Que o sol brilhe lá fora
E dentro do coração
Jamais pense ir embora
Para termos nosso pão

Para a vida existir
Precisa de luz e calor
Ou tudo vai exaurir
A Terra e meu amor


 Claudeth Faldinheim
Copyright-All rights reserved  
08/11/2014

sábado, 1 de novembro de 2014

Flavinha



Flavinha

O sol amanheceu lindo
Parece veio celebrar
Neste espaço infindo
Com raios a comemorar

É data muito especial
De uma menina que vi nascer
Linda e fenomenal
Que os anos a fez crescer

Tive a graça de batizar
A minha querida Flavinha
Que sempre irei amar
Como se fosse minha filha

Constituiu uma família
Sempre filha abnegada
Em uma constante vigília
Seguindo a sua estrada

Que toda a felicidade
Esteja em sua vida presente
Rodeada de amizade
E o amor de Deus a alimente.

 Claudeth Faldinheim
Copyright-All rights reserved  
01/11/2014

domingo, 12 de outubro de 2014


O badalo de nós dois

Meu coração enobrece 
Por mais esse poema,
E bem depressa aquece
Te amar aqui é meu lema


Não quero a aposta ganhar
Mas sopra-me alguma brisa
Que eu vou fazer voltar
Minha bela poetisa


Sua poetisa aqui já tem
O coração a embalar
Nesse badalo, vai e vem
E suspira por te amar


Se tu queres meu badalo
Podes então badalar
se for preciso te embalo
Que o badalo te posso dar


Que faço com esse badalo
Que longe de mim vai estar
Nem posso seguir esse embalo
Coração sofre a palpitar


Só meu badalo vais ter
quando me fores encontrar
Até lá vais-te entreter

A outro badalo achar


Nem gelo, nem agua fria
Termina a palpitação
Nada que faço esfria

Esse grande comichão


Eu que fico comichoso
à espera que tu vás vir
Já pareço um cão raivoso

na rua sempre a latir


Que importa outro badalo
Só o seu eu quero ter
Só contigo eu embalo
Esse meu bem querer


vamos guardar o badalo
Pois parece enferrujado
Porque assim já não me calo

Ficando ele pendurado


E com este badalar
terminamos a sessão
Vou prá cama me deitar

Que acabou a comichão


Renato Valadeiro &
Claudeth Faldinheim
Copyright-All rights reserved
10/10/2014

domingo, 17 de agosto de 2014




Megasom

Existe um belo lugar
Onde tu podes encontrar
As mais lindas músicas
E o coração alegrar

Alem de musica, encontra
Muitas coisa interessante
Basta vir e pesquisar
E vais ficar radiante

Este lugar  que refiro
Tem nome de  Megasom
Pesquisa na Internet
E aqui estarás então

Filmes, poesias, passatempos
Tudo encontras  no Megasom
 Informática, culinária e eventos
São itens que cá verão

Diversas  raridades ,
Por isso tenha certeza
Em sítio algum vai achar
Itens com tanta beleza

Venha nos visitar
E partilhar o que tens
Assim  o nosso fórum
Estará muito bem

Autoria de Claudeth Faldinheim [Clau]
Criado em 22/11/2011

terça-feira, 22 de julho de 2014

Fado do sopro final - Claudeth Faldinheim 22/07/2014



Fado do sopro final

Meu fado é de tristeza
Que embala o coração
É de tanta realeza
Rodeado de emoção

Fado triste da quimera
Que faz parte da vida
Vive sempre a espera
O fim da alma sentida

Vida que vai esvaindo
Em passo acelerado
O coração já sentindo
Vai tornando atrapalhado

Sem meu fado nada sou
Pois é ar que aqui respiro
Em sentimento amou
Até o último suspiro

E quando no sol poente
Com a vida evaporando
Meu fado estará presente
Nas forças ali esgotando

E nesse leito final
Soará grito de dor
Em som fenomenal
Clamando por teu amor!

Ficará sempre a lembrança
De tudo que se viveu
Despertará a esperança
Da alma que renasceu


Claudeth Faldinheim
Copyrights-All rights reserved
22/07/2014/

LEGADO PARA O MUNDO - CLAUDETH 22/07/2014



LEGADO PARA O MUNDO

Que eu leve o amor
A todo canto do mundo
E amenize toda a dor
Esteja ela onde for
Do povo já moribundo

Que a discórdia encontrada
De uma população doente
Siga por outra estrada
Ao som de nova balada
Numa harmonia presente

Que a ofensa se torne perdão
Em ternas gotas de amor
Que amemos nosso irmão
Numa imensa emoção
Como um perfume da flor

Que a fé aqui propague
Mesmo neste submundo
Não importa qual idade
Venha toda felicidade
Em sentimento profundo

Que a união universal
Esteja aqui presente
Que o amor de um casal
Irradie em transversal
De forma bem contundente

Que o erro praticado
Por alguém que já pecou
Seja então perdoado
Deixando esse legado
A todos que aqui ficou

Que todas as coisas da Terra
Seja então preservada
Que a água desça da serra
Extinga toda essa guerra
E inicie nova jornada

E quando essa luz brotar
No coração dessa gente
A certeza de aumentar
Em raios, então irradiar
Num amor sempre presente

Claudeth Faldinheim
Copyrights-All rights reserved

22/07/2014

SAUDADE SIM - CLAUDETH FALDINHEIM 22/047/2014



SAUDADE SIM

Que saudades que sinto!
Dos tempos que lá se vão
Onde brincadeiras e idade
No campo e na cidade
Fazia nenhuma questão

A felicidade então reinava
Nessa infância sem malícia
Quando o sol irradiava
Pelas ruas já passeava
Sorvete tomava. Que delícia!

Bem cedo acordava
Tomava um bom café
Mamãe à escola levava
Feliz ali estudava
Voltava pra casa a pé

Os anos que se passaram
Chega o tempo de namorico
Ao longe, meninos flertavam
Os olhos embebedavam
Para não haver mexerico

Assim fui levando a vida
Nesses anos que passaram
Saudade tão bem sentida
Numa dor aqui contida
De tempos que a permearam.

Saudade sim! Aqui se faz
De tudo na vida vivida
Não se pode voltar atrás
De coisa que satisfaz
E embala nossa vida


Claudeth Faldinheim
Copyrights-All rights reserved
22/07/2014

sábado, 28 de junho de 2014

CON ... DOR - 26/06/2014



CON...DOR
A pior coisa que existe
É estar tendo condor
Ela vem e bem resiste
Ataca com todo furor

Dói ... Dói em todo lugar
O corpo fica em pedaço
Parece vai arrebentar
Em todo canto e espaço

Esse com dor não é ave
Que voa livre no espaço
É algo que já nem cabe
Nesse meu peito de aço

Ela chega muito forte
Os nervos põe-se a pular
Pula pro sul e pro norte
Que tudo vai-se quebrar

E quando penso que acalma
Lá vem ela outra vez
Tão forte que dói na alma
Ai, se pego quem a fez!

Vai embora dor maldita
Sai desse corpo cansado
Pois não há quem resista
Em ficar todo amassado

Claudeth Faldinheim
Copyrights-All rights reserved
26/06/14

quarta-feira, 4 de junho de 2014

MARIA ALICE 02/06/2014



MARIA ALICE

Um anjo de bondade
Que aqui surgiu.
Luz da divindade
Cheia de humildade
Que jamais se viu

Criança, olhar de ternura
Que veio para cativar
A mais linda criatura
Cheia de amor e doçura
O dom maior do amar

És meu sentido de vida
Que o dia veio iluminar
Minha menina querida
No amor não há medida
Quando a vejo chegar!

Minha neta adorada!
Uma luz já a brilhar
Sempre valorizada
Criatura tão amada!
Que venho abençoar

No decorrer dessa vida
Siga numa estrada de luz
Em jardim de margarida
Tenha sempre a guarida
E a bênção de Jesus!


Claudeth Faldinheim
02/06/2014
Copyrights-All rights reserved